Academia do Voleibol apresenta dois artigos científicos na noite desta segunda-feira

Publicado em: 17/11/2020 00:13

Na noite desta segunda-feira (16.11), a Academia do Voleibol fez jus ao nome. A edição desta semana contou com a apresentação de dois artigos desenvolvidos no Curso de Treinadores de Nível 4 de vôlei de quadra, realizado em julho de 2020. As apresentações foram mediadas pelos professores que ministraram o curso: Luís Delmar da Costa Lima, o Duda, e João Crisóstomo Marcondes Bojikian.

A Academia de Voleibol é um projeto realizado pela Comissão Nacional de Treinadores, a Conat, e tem como objetivo difundir conhecimento e trocar experiências durante a pandemia da COVID-19. E nesta segunda-feira os dois artigos apresentados tiveram um ponto em comum, ambas abordaram o Complexo II – que consiste no saque, bloqueio/defesa e contra-ataque - como objeto de estudo.

O primeiro artigo da noite foi “Complexo II do voleibol: uma revisão sistemática”, produzido por Sandro Victor Alves Melo, Sílvio Francisco do Vale e Carlos Eduardo Pessoa Lima. O objetivo dos três foi apontar caminhos para o desenvolvimento de estudos específicos sobre o Comlexo II, que ainda são raros.

“Nós sentimos falta de trabalhos que abordassem o Complexo II no voleibol. Hoje vimos que a preparação física e tática no voleibol estão bem desenvolvidas, mas a preparação perceptiva não está tão bem difundida. Então decidimos revisar tudo o que foi estudado a respeito do Complexo II. Revisamos a literatura, indexamos os artigos que falassem especificamente sobre o tema, ou que ao menos tratassem das ações do Complexo dois. Os artigos analisados foram os publicados em português, inglês e espanhol”, disse Sandro Victor Alves Melo, que fez a apresentação.

No segundo artigo da noite, “Análise de desempenho do complexo II nas equipes participantes da Superliga Banco do Brasil masculina 2019/2020”, as 12 equipes participantes da competição foram estudadas por José Rodolfo Lino da Silva, Renato Batista dos Santos e Ricardo Felipe Murbach Rodrigues da Silva.

“Nosso objetivo foi analisar os pontos vencidos e perdidos nos rallies disputados a partir do Complexo II, e ter parâmetros para a análise de um dos principais campeonatos do mundo. Desta forma conseguimos compreender a influência de cada ação dentro do complexo, e a importância do mesmo nos resultados das equipes”, disse Renato Batista dos Santos no início da apresentação.

Segundo Ricardo Felipe Murbach Rodrigues da Silva, o Complexo II hoje é o mais trabalhado nos treinamentos, justamente porque o complexo I – a virada de bola regular – é o que mais rende pontos nos jogos de voleibol.

“Abordamos o Complexo II em razão da importância dele em uma partida. A estatística mostra que os times com melhor desempenho no Complexo I conseguem um maior índice de vitórias, portanto, trabalhar mais o Complexo II pode ser um diferencial. Em nossa análise buscamos entender os parâmetros de sucesso e insucesso e traçar estratégias para a melhoria do desempenho”, contou Ricardo.

Esse foi o 50° encontro da Academia do Voleibol, que realiza reuniões virtuais com temas variados sobre vôlei de praia, vôlei de quadra e Conat. O conteúdo fica disponibilizado no Canal Vôlei Brasil (http://canalvoleibrasil.cbv.com.br).

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Parceiros Oficiais