Rubinho fala sobre tendências do voleibol masculino na Academia do Voleibol

Publicado em: 25/08/2020 21:48

Campeão olímpico como assistente técnico da seleção brasileira, Rubinho foi o palestrante da noite desta terça-feira (25.08) na Academia do Voleibol. O projeto que implantou a iniciativa de disseminar conhecimento durante a pandemia da COVID-19 vem se mantendo como uma atração duas vezes por semana no Canal Vôlei Brasil (http://canalvoleibrasil.cbv.com.br). Rubinho destacou algumas das principais tendências do voleibol masculino, apontando as principais mudanças na modalidade.

Antes de começar a apresentação, no entanto, o técnico que atuou 10 anos ao lado de Bernardinho na seleção e esteve nas três últimas temporadas a frente do Sesi-SP agradeceu a oportunidade e elogiou a iniciativa da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV).

“É uma grande honra estar aqui. Tenho uma admiração profunda por todos os envolvidos neste projeto que é brilhante e depois de tantos anos trabalhando junto da CBV, estar aqui realmente é um momento bem especial para mim. Espero poder acrescentar algumas coisas em relação aquilo que tenho visto no voleibol até 2016 com a seleção e em clubes nos últimos tempos. Espero passar boas informações a todos”, disse Rubinho.

Sob a mediação dos professores Luiz Delmar Lima, o Duda, e João Crisostomo Bojikian, além da apresentação do presidente da Comissão Nacional de Treinadores (Conat), Carlos Rios, a palestra desta noite começou destacando o equilíbrio no cenário internacional.

“Nos últimos anos, em especial nos últimos 10 anos, houve um aumento de equilíbrio muito grande no cenário internacional e as mudanças técnicas que ocorreram a partir disso. É tão grande o equilíbro que, por exemplo, a Sérvia vence a Liga Mundial poucos meses antes dos Jogos Olímpicos e sequer estava na Olimpíada, quando sabíamaos que cinco, seis equipes tinham condições de vencer”, comentou Rubinho.

Apesar de ter saído da comissão técnica da seleção brasileira junto com Bernardinho, logo depois dos Jogos de 2016, o treinador fez questão de destacar que este ponto segue cada vez mais forte no atual ciclo olímpico.

“Atualmente o equilíbrio se mantém. Neste ciclo de agora, sob o comando do Renan, foram quatro países ganhando seis campeonatos. E acredito que um ponto fundamental para esse equilíbrio foi o avanço da tecnologia, que diminuiu distâncias e diferenças. A evolução no saque é outro ponto importante, assim como ajustes técnicos do passe. O peso e alcance no ataque e as variantes neste fundamento também são parte disso, assim como o aumento dos rallys na fase defensiva”, exemplificou Rubinho.

Esse foi o 31º encontro da Academia do Voleibol, que realiza reuniões virtuais com temas variados sobre vôlei de praia, vôlei de quadra e Comissão Nacional de Treinadores (Conat). O conteúdo fica disponibilizado no YouTube da CBV (youtube.com/voleibrasil1) e no Canal Vôlei Brasil (http://canalvoleibrasil.cbv.com.br).

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Parceiros Oficiais