Felipe Ximenes fala sobre o impacto de uma equipe de vôlei em uma cidade do interior

Publicado em: 20/08/2020 21:18

No trigésimo encontro promovido pela Academia do Voleibol, na noite desta quinta-feira (20.08), o debate foi sobre o “O impacto de uma equipe de voleibol em uma cidade do interior”. O gestor esportivo com ampla experiência no vôlei e há 18 anos trabalhando no futebol, Felipe Ximenes, que é natural de Três Corações (MG), foi o palestrante para contar justamente sobre o projeto de sucesso na sua cidade natal.

Três Corações esteve por quatro temporadas na Superliga masculina, o principal campeonato do voleibol brasileiro, com uma história macante. Mediador desta noite, o superintendente da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), Renato D´Avila, relembrou um pouco dessa história.

“A cidade de Três Corações obteve muito sucesso na nossa Superliga e, por isso, nós chamamos o Felipe Ximenes para falar sobre isso hoje. Atualmente ele está militando no futebol, mas teve sua origem na nossa modalidade e todo o sucesso deste projeto merece ser lembrando e, mais ainda, ser passado adiante”, disse D´Avila.

A palestra, aberta ao público, aconteceu na plataforma do Canal Vôlei Brasil (canalvoleibrasil.cbv.com.br). Ao começar a contar um pouco da sua história no voleibol, Felipe Ximenes demonstrou enorme satisfação.

“Poder falar com a comunidade do voleibol brasileiro é uma honra. E ter essa oportunidade quase 18 anos depois de eu ter saído do voleibol, embora eu diga que o vôlei nunca saiu da minha vida, é uma honra. Estou há muitos anos no futebol e poder relembrar um pouco da minha história no vôlei é muito bom. Agradeço muito à CBV pelo convite”, disse Ximenes.

O envolvimento da população da cidade com um projeto esportivo é considerado fundamental pelo gestor esportivo.

“Não tenho dúvida que o vôlei, e o esporte de uma maneira geral, é a ferramenta mais poderosa de inclusão social e envolvimento de uma comunidade. Falo isso depois de quatro anos neste projeto, que foi absolutamente abraçado pela cidade. Lá tivemos uma história de amor”, relembrou Felipe Ximenes.

O gestor ainda citou histórias e nomes de grande expressão para o projeto de Três Corações e para o voleibol brasileiro de um modo geral.

“Destaco que o impacto que se gera na cidade de interior é muito maior do que em uma capital. Lembro que a primeira temporada jogamos 22 jogos e perdemos 21. Na segunda, trouxemos o Marcos Lerbarch como técnico, além do Ricardinho, como grande estrela, e o Dante, que recebeu o primeiro salário da vida dele em Três Corações”, contou o gestor, que lembrou nomes que passaram pelo projeto como Carlão, William Arjona, Giovane, Schwanke, Marcelinho, entre outros.

Falar na cidade de Três Corações e não citar o Rei Pelé é impossível, mas Felipe Ximenes fez questão de destacar um detalhe nesta história: “Três Corações que tem Pelé como seu maior ídolo, uma das pessoas mais conhecidas do mundo na área de esporte, foi conhecida muitos anos como a cidade do vôlei. Isso não tem preço. Isso tem valor”, afirmou Felipe, complementando.

“Esse projeto foi algo que mexeu com toda a nossa comunidade. Nas quatro Superligas que disputamos, fomos recorde de público. Tinhamos projeto de sócio-torcedor, uma responsabilidade social incrível, um vínculo enorme através de uma série de ações, de gritos de guerra da equipe, fizemos um show no ginásio com 3.500 pessoas, tínhamos duas torcidas organizadas e estamos falando de quase 20 anos atrás”, destacou.

No final da equipe de Três Corações, Felipe Ximenes retornou ao futebol, onde começou sua carreira como preparador físico, desta vez como gestor esportivo, tendo a oportunidade de trabalhar em equipes como Flamengo, Cruzeiro, Fluminense, Atlético/MG, entre outros.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Parceiros Oficiais