CBV aborda arbitragem no vôlei de praia em palestra virtual

Publicado em: 11/08/2020 21:49

A noite desta terça-feira (11.08) manteve a tradição dos últimos três meses com mais uma edição da Academia do Voleibol. Desta vez, o encontro virtual estreou em outra plataforma e foi transmitido de forma gratuita pelo Canal Vôlei Brasil e aberto ao público em geral. Em pauta, as maneiras de gerenciar conflitos e os fundamentos da arbitragem no vôlei de praia, palestra apresentada pelo árbitro internacional Mário Ferro.

A iniciativa da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), que começou em maio, visa levar o conhecimento a todos os membros da comunidade do voleibol durante a pandemia da COVID-19, enquanto as competições esportivas seguem suspensas.

CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR AS OUTRAS EDIÇÕES

Mário Ferro, palestrante desta terça-feira, tem 27 anos de experiência como árbitro e já apitou em diversas competições internacionais, como edições de Pan-Americanos, Jogos Militares, Circuito Mundial e os Jogos Olímpicos Rio2016.

Na abordagem apresentada no seminário, Mário destacou os cinco passos para uma boa arbitragem. Para o experiente árbitro internacional é preciso saber escutar as partes envolvidas em uma partida, saber perguntar, explicar as decisões quando necessário, oferecer opções e sempre dar uma nova chance em caso de alguma reação negativa.

“É muito importante ouvir com todos os sentidos, ou seja, perceber tudo que acontece ao redor, estar atento ao que está sendo falado e ter clara compreensão disto. Também é preciso abordar os atletas e treinadores de forma respeitosa, pedir ao invés de instruir. O terceiro ponto é explicar as razões de suas atitudes e decisões, bem como oferecer as opções de caminhos durante uma partida. E, sempre que necessário, dar uma segunda chance quando houver alguma situação negativa”, explicou Mário Ferro.

Outro momento importante da palestra foi a definição dos três pilares que um árbitro precisa administrar para o bom desempenho em cada partida: o aspecto psicológico, o conhecimento e o condicionamento físico.

“Em cada partida temos que saber como gerenciar as situações, avaliar as demandas, nos planejar. O voleibol de praia é uma modalidade ao ar livre e sujeita às intempéries do clima, e isso tem impacto no nosso psicológico. O conhecimento é outra peça chave, ter entendimento das regras, experiência, são fundamentais para manter o bom controle do jogo. E, somado a tudo isso, um bom condicionamento físico, saber dosar as energias completam a lista de atribuições de um bom árbitro”, disse.

Mário Ferro ainda citou outros aspectos como a postura, o respeito adquirido entre atletas e demais oficiais de arbitragem, bom senso e autoconfiança.

“Quando o árbitro chega em uma competição, as primeiras marcações são muito importantes para a impressão dos atletas. E a última marcação de um jogo fica como marca geral desta atuação. É preciso mostrar uma postura que inspire respeito, mas que não seja arrogante. O árbitro é a autoridade maior em quadra, mas precisa sempre ter empatia”, comentou o palestrante.

O evento desta terça-feira foi mediado por Virgílio Pires, Superintendente de Vôlei de Praia da CBV, que repassou perguntas vindas do público e agradeceu a participação de Mário Ferro no encontro virtual.

“Estamos muito felizes de estarmos abrindo essa nova fase da nossa Academia do Voleibol. Agradecemos a todos que nos acompanharam neste episódio, e os que fizeram isso possível. É muito bom contar com alguém da experiência do Mário Ferro para nos trazer conhecimento”, disse Virgílio.

A Academia do Voleibol já proporcionou outras 27 reuniões virtuais, até então por meio da plataforma Webex, com temas variados sobre vôlei de praia, vôlei de quadra e Comissão Nacional de Treinadores (Conat). O conteúdo posteriormente também fica disponibilizado no YouTube da CBV.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Parceiros Oficiais