Giovane Gávio participa de encontro com treinadores de todo o país

Publicado em: 11/06/2020 21:37

A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) segue em atividade e movimentando a modalidade em todo o país mesmo em meio a pandemia da COVID-19 que assola boa parte do mundo. Neste momento, a entidade criou a Academia do Voleibol, que está em sua terceira semana realizando encontros virtuais com treinadores de todo o país. Nesta quinta-feira (11.06) foi a vez de Giovane Gávio, técnico da seleção brasileira sub-21 masculina, levar conhecimento aos profissionais.

Através da plataforma Webex, Giovane falou sobre o planejamento e a preparação técnica da seleção sub-21 para cerca de 150 treinadores e profissionais do vôlei de todo o país sob a mediação da gerente de seleções da CBV, Julia Silva. Logo na abertura do encontro, o bicampeão olímpico como atleta destacou a chance proporcionada pela CBV.

“Agradeço muito pela oportunidade, agradeço ao Toroca, Radamés, e estar aqui com vocês é um orgulho. Sou muito feliz em fazer parte do Vôlei Brasil. Fico muito contente de compartilhar algumas coisas com vocês”, disse Giovane, que disse ser grato a várias profissionais. “Muitas pessoas me inspiraram, me ensinaram e tudo foi determinante para o que me tornei como treinador”.

Giovane Gávio também ressaltou a importância dessas reuniões virtuais, onde técnicos mais experientes conseguem transmitir um pouco do que aprenderam.

“Essas iniciativas criadas pela CBV são sensacionais. Estive aqui nos encontros do Renan e do Zé Roberto e achei incrível poder conhecer um pouco mais de cada um. E olha que eu conheço os dois porque sou cara de pau. E todos aqui devem ser em procurar por esses técnicos. Eu faço isso. Ligo, pergunto, converso com os dois e acho que trocar experiências, compartilhar, é o grande segredo. Por isso, essa iniciativa não deve parar depois da pandemia”, opinou Giovane.

O técnico da seleção brasileira sub-21 ainda citou os dois maiores treinadores do país na sua própria formação. “Meu perfil é mais parecido com o do Zé Roberto, ou pelo menos eu gostaria que fosse, no sentido de conversar mais e entender mais. E gosto muito do ritmo do treinamento do Bernardo. É um treino mais intenso, com a bola mais tempo no ar e fala-se menos. Isso faz com que você pense com a bola no ar. Acho que isso é sensacional para o voleibol”, disse Giovane.

A Academia do Voleibol já proporcionou outras seis reuniões virtuais neste sentido. O primeiro aconteceu no dia 28 de maio, e teve como tema “Gestão e preparação de equipe”, com o técnico da seleção brasileira masculina, Renan. No dia 2 de junho o técnico da seleção brasileira masculina de base de vôlei de praia, Robson Xavier, falou sobre a detecção de talentos e iniciação da modalidade.

No dia seguinte (03.06) aconteceu a apresentação de um trabalho científico feito por um grupo de profissionais envolvidos no voleibol de praia sobre “Paixão e estratégias de coping de atletas da modalidade no contexto nacional”.  Na quinta-feira (04.06), foi a vez de um bate-papo com o técnico da seleção brasileira feminina, José Roberto Guimarães, que teve como tema “Desafios da nova geração”. Na terça-feira (09.06), o preparador físico Francisco Oliveira Neto apresentou um seminário sobre a preparação de atletas do vôlei de praia. E na noite de ontem (10.06) o tema foi “Sistemas de Ataque 5:1 – Intenções Táticas”, trabalho realizado pelos professores Carlos Henrique Ribeiro Moreira, Fabiano Girotto Assis e Fernando Mendes Rabelo, produzido para o curso de treinadores Nivel IV da Universidade Corporativa do Voleibol (UCV).

A programação virtual da CBV segue nesta sexta-feira (12.06) com a quarta edição do Vôlei em Casa, programa que acontece toda segunda e sexta, sempre às 20h, no canal da CBV no YouTube (http://youtube.com/voleibrasil1).

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Parceiros Oficiais