CBV realiza laboratório para detectar novos talentos

Publicado em: 10/01/2019 10:30

Atenta ao futuro da modalidade, a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) irá realizar a segunda edição do laboratório de avaliação com atletas nas categorias infantil, sub-18 e sub-19. Em 2018, nesta mesma época, a entidade reuniu 40 jovens no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ), e, desta vez, serão 80 avaliados – sendo metade em cada naipe. O laboratório será realizado de 14 a 28 deste mês.

Os jovens convidados para esta bateria de testes foram observados nos Jogos Escolares, do Campeonato Brasileiro Interclubes (CBI), Campeonato Brasileiro de Seleções (CBS) e também do Programa de Recrutamento, desenvolvido pela CBV em 2018 justamente com o objetivo de detectar novos talentos em todo o Brasil através da internet.

Técnicos das seleções brasileiras de base serão os responsáveis pelo trabalho: no feminino, Hairton Cabral, e no masculino, Luiz Carlos Rodrigues da Silva, o Kadilac. Os treinadores terão em suas comissões técnicas, neste laboratório, outros profissionais que atuam nas seleções. Hairton irá trabalhar com o assistente Evelton Ribeiro e o preparador físico Rommel Milagres. Kadilac terá ao seu lado Aníbal Soares e Guilherme Berriel. Rodrigo Azevedo será o fisioterapeuta dos dois naipes.

E os profissionais das seleções terão o auxílio de treinadores convidados – todos que estiveram na disputa dos Jogos Escolares. Estarão no CDV Francisco Valter Arruda, Wagner Ricardo Marschner, André Luiz Corrêa Pereira e Rodrigo Otávio dos Santos Barreto.

Para a gerente de seleções da CBV, Júlia Silva, o convite aos treinadores que atuam nos Jogos Escolares é de extrema importância para a valorização destes profissionais.

“No ano passado convidamos os treinadores campeões dos campeonatos brasileiros de seleções para participarem do projeto. Nesse ano, decidimos dar essa oportunidade aos treinadores dos Jogos Escolares. Muitos treinadores fazem um excelente trabalho nas escolas e achamos que essa seria uma forma de reconhecê-los. Muitos nunca estiveram no CDV e acreditamos que seja importante estimularmos os profissionais que fazem um bom trabalho”, disse Júlia.

Os grupos serão divididos para que o trabalho flua melhor e os 80 atletas fiquem ainda bem acomodados no CDV. Na primeira semana, a comissão técnica feminina irá avaliar a geração 2004/2005 e, na segunda, meninas nascidas em 02/03. No masculino, os profissionais trabalharão com garotos nascidos em 2003 e 2004 na primeira semana e outros nascidos de 2001 a 2004 na segunda.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Parceiros Oficiais